Descrição do Programa

O Programa de Mestrado em Geografia se caracteriza por associar preocupações da ciência geográfica como região, ambiente, sociedade e natureza com ferramentas de análise e problemas do mundo contemporâneo. Um mundo em constante fragmentação social e territorial moldada por conflitos e interações sociais e econômicas que estruturam e produzem o espaço geográfico e, consequentemente as regiões por meio da organização da produção no espaço, resultante das escolhas locacionais dos agentes econômicos. Antagônica e concomitantemente o espaço global é homogeneizado pelas infinitas conexões possibilitadas pelas tecnologias.

O Programa de Mestrado em Geografia, da UFF-Campos, se estrutura em duas linhas de pesquisa e em uma área de concentração que associa as preocupações com as regiões e o ambiente. A área de concentração, Análise Regional e Ambiental, assume a relação simbiótica entre ambiente e região, pressupondo a indissociabilidade entre análise ambiental e regional.

A linha de pesquisa Sistemas Naturais, Geotecnologias e Demografia associa os instrumentos modernos de geotecnologias com as ferramentas da ciência demográfica que se preocupa com as diversas estruturas populacionais sobre o espaço geográfico, desde a sua distribuição espacial, que é condicionada pelo ambiente natural e pelas interações sociais, econômicas, políticas e institucionais que caracterizam e produzem especificidades em cada região.

A linha de pesquisa Análise Regional, Dinâmicas Territoriais e Escalas discute as dinâmicas territoriais que fragmenta e aglutina as regiões nas diversas escalas, intermediadas pela força estruturante do capital sobre os territórios em busca de recursos produtivos abundantes no espaço global.

Alicerçado pelo conteúdo teórico-metodológico que estruturam o tripé: área de concentração e as duas linhas de pesquisa, o programa tem por objetivo aprimorar a formação de pesquisadores em nível de mestrado visando o desenvolvimento acadêmico e científico, assim como a formação de profissionais de alto nível para o exercício das atividades de ensino, pesquisa e extensão em geografia em todo território nacional. Além disso, espera-se que o egresso do Programa acumule capital humano geral e específico para construir, aplicar e divulgar conhecimento, contribuindo para o desenvolvimento da ciência geográfica no Brasil.  Esse profissional deverá ainda estar apto apreender os conteúdos teórico-metodológicos e aplica-los aos problemas da realidade no seu exercício profissional, sejam eles oriundos de demandas regionais ou nacionais.

Área de Concentração:  Análise Regional e Ambiental

A definição de região parte do princípio da diferenciação de áreas. Por outro lado, o discurso da globalização prega a homogeneização dos espaços. É na interseção das questões relacionadas às especificidades espaciais e na globalização que as questões regionais tomaram novo fôlego nestas primeiras décadas do século XXI. As diversidades territoriais expressas, tanto pelas desigualdades econômicas, quanto pelas diferenças culturais, ampliaram os interesses dos geógrafos em explicar esses fenômenos que podem ser lidos a partir das relações entre fenômenos locais e globais que produzem, ao mesmo tempo territórios-zona onde prevalece a lógica política, territórios-rede conformados pela lógica econômica e os aglomerados de exclusão sob a égide da lógica social. Tratam-se, portanto dos espaços onde se reconhecem as articulações dos múltiplos agentes em diferentes escalas de ação. Na análise regional considera-se os aspectos ambientais em diferentes olhares: sejam nos estudos da evolução, dinâmica e processos dos diferentes componentes dos sistemas naturais a partir de diagnósticos e monitoramentos, ou numa perspectiva ampla, reconhecendo a análise ambiental como a integração de fenômenos sociais, políticos, econômicos, culturais e a natureza, em um recorte espacial específico. As relações inter-escalares dos sujeitos; das agências; das empresas e dos Estados-Nação, redefinem as regiões frente aos circuitos da globalização.

Linhas de Pesquisa

Sistemas Naturais, Geotecnologias e Demografia

Esta linha de pesquisa vincula-se a três eixos temáticos que se articulam e se complementam. As geotecnologias envolvem a criação de cenários, modelos e análises espaço temporais de uso e ocupação das terras aplicando diferentes metodologias na adoção das Geotecnologias nas diferentes categorias de análise da Geografia. A demografia, aborda estudos sobre a distribuição da população humana no espaço assim como sua estrutura, envolvendo estudos sobre os efeitos territoriais de políticas populacionais; sobre problemas relacionados ao trinômio população, desenvolvimento e ambiente; e a elaboração de análises e diagnósticos demográficos em várias escalas, envolvendo projeções de população, estimativas de demandas sociais e construção de indicadores sociais. Os sistemas Naturais abordam estudos voltados para o conhecimento e análise ambiental, envolvendo a evolução, dinâmica e os processos dos diferentes sistemas naturais ao longo das quatro escalas temporais de análise: geológica, histórica, presente e futura, que dão suporte a diagnósticos e monitoramentos, assim como subsidiam o processo de uso e ocupação das terras mitigando os impactos ambientais. A compreensão dos sistemas naturais subsidiam políticas e planos de zoneamento ambiental de Unidades de Conservação da Natureza, bem como dão suporte a estudos que se preocupam com os efeitos advindos dos conflitos e impactos ambientais nos diferentes ambientes costeiros e continentais.

Análise regional, dinâmicas territoriais e escalas

Fundamenta-se na execução de estudos regionais voltados a discussão ou elaboração de aspectos teóricos, metodológicos e epistemológicos em geografia. Essa linha de pesquisa propõe estudos sobre as dinâmicas territoriais, processos espaciais, instrumentos e políticas voltados à análise regional em suas diferentes escalas (do local ao global). Aborda as estruturas produtivas, os fluxos econômicos, as estratégias de gestão e de governança, os efeitos da globalização, da reestruturação produtiva, dos aspectos culturais, definidores de identidades regionais; além das interfaces entre as dinâmicas territoriais e as questões sociais e ambientais.

Comentários estão fechados